INTRODUÇÃO

Introdução à grafoterapia


O caminho da auto realização


: Apresentação

Olá! Eu sou Pedro Paulo de Souza. Nasci  e vivo em Itaperuna-Rj, Brasil.

Estou aqui pra te dizer que realizei muitos estudos e trabalhos antes de chegar até aqui. Com cada um deles fui aprendendo alguma coisa. A intuir. A obedecer. A perseverar. A reconhecer as limitações humanas. A me tornar mais humilde, etc., até o ponto em que fui conduzido a este trabalho.

Tornar-se terapeuta, na verdade, é um processo lento, longo, alquímico. Na mente, na alma, no espírito. Chegamos a um tempo em que alcançamos um estado de alma, em comunhão com as técnicas apreendidas ao longo dos anos, que nos sentimos à vontade para dizer certas coisas que, de outro modo, não ousaríamos. E para isto, estou aqui. Para te dizer algumas coisas que você, talvez, precise saber.


2º: Introdução

Em primeiro lugar quero dizer que somos feitos da mesma massa, e que as nossas diferenças, aparentemente muitas, não são tantas assim.

O que quero dizer é que, internamente, o processamento das informações que captamos através dos nossos cinco sentidos estão sempre acontecendo, de um modo ou de outro. Estamos aqui, neste amado planeta, para evoluirmos a nossa consciência, independentemente, se estamos, momentaneamente, "por baixo" ou "por cima", se casados ou solteiros, se trabalhando ou passeando, etc.

O importante é que as nossas legiões de neurônios estão, neste mesmo instante, trabalhando, ininterruptamente, para nos dar conta de que estamos seguindo as tendências evolutivas, não só da nossa família, como também da nossa cidade, estado, país, planeta, etc.

É claro que as interações de longas distâncias demoram um pouco mais. Mas elas continuam acontecendo e nos levando a ser um pouquinho mais conscientes a cada dia.

Por conta disso, de que, de algum modo, já estamos naturalmente evoluindo, e que é a evolução que nos aproxima do nosso ser real, do nosso verdadeiro ser; então, é claro que todo e qualquer trabalho voltado, especificamente, para a sua evolução pessoal, não apenas deve ser executado, mas deve ser, também, encarado como o trabalho mais importante da sua vida!

Penso que qualquer atividade temporária deve ter relativa importância quando diante de um trabalho com ganhos permanentes pela evolução da sua consciência.

Esse é o meu trabalho aqui: alertar você sobre o que seja, realmente, relevante: Você!

Eu bem sei que você tem mais o que fazer; Eu bem sei que muitos precisam trabalhar forte para dar conta da família, parentes e, às vezes, até agregados; Eu bem sei que a vida cobra caro o preço da passagem...

Mas ainda assim, você precisa se organizar; precisa organizar o seu tempo; precisa organizar o seu espaço; precisa priorizar.

E quanto mais tarefas e responsabilidades uma pessoa tem, tanto mais carinho e atenção ela merece. Se não daqueles com quem interagimos, ou mesmo daqueles que estão sendo servidos, pois ainda não alcançam que estão sendo servidos, que seja então de si próprio.

  • Você sabe, o dia tem vinte e quatro horas;
  • Você sabe onde o seu calo te aperta;
  • Reserve para você mesmo (a) horários, em que você esteja disponível para você!

Ainda que não tenha nada para fazer, que seja só lazer e descanso. Reserve horário na sua agenda para você mesmo (a). Se curta. Se ainda não está se curtindo, trabalhe-se!

  • Qual o aborrecimento?
  • Qual a dor?
  • Qual o trauma?

Realize uma grafoterapia específica. Cuide-se. Promova em si mesmo (a) a sua evolução. Chega de se desculpar! Você pode enganar a muitos, mas a si mesmo (a), à sua consciência, você não engana. E ela não te deixará curtir-se, ou seja: não te deixará curtir a sua própria companhia, como deveria. Até que você se trabalhe e a vida possa então fluir em paz, em amor, em toda a sua plenitude através dos seus músculos, ossos, veias e nervos... Seja feliz!

Cuide da pessoa mais importante do planeta. 

Cuide de você mesmo (a)!

3º: Instruções

Este trabalho tem como princípio vetar os condicionamentos negativos. Ele fecha a porta ao condicionamento que fazia com que a mente fizesse o caminho do erro, ou seja, "pensasse" negativamente. Como quando os trens são manobrados de um trilho a outro, mudando o seu rumo e o seu destino final.

Desse modo, ao fecharmos a porta para uma forma negativa e condicionada com que a mente criava (pensava), imediatamente abrimos uma nova porta para um modo positivo de pensar (criar). Com isso estabelecemos um novo registro subconsciente, que a partir de agora estará impulsionando este indivíduo, o seu criador, a pensar positivamente, produzindo, desse modo, evolução, expansão de consciência. Parabéns a todos os que "chamados" souberem fazer as "escolhas". Sede valorosos! Um forte abraço. PP.

Este trabalho necessita da atenção concentrada daquele que o executa. Por isso sugerimos que seja realizado ao acordar, ou à noite, antes de dormir, quando a mente está naturalmente mais pronta, ou seja, está numa frequência propícia, mais concentrada, mais receptiva. O indivíduo deve observar quando o trabalho já está atuando em si mesmo; porém deve continuar realizando-o até que o registro esteja bem estabelecido em seu subconsciente, criando desse modo um condicionamento positivo. Assim a mente subconsciente passa a "pensar" automaticamente por si mesma, sem necessitar que o indivíduo esteja conscientemente focado. A partir desse momento, onde havia um condicionamento negativo passou a existir um condicionamento positivo. E o indivíduo que realizou esse trabalho cresceu, deu mais um passo no seu processo de crescimento consciencial. Seja feliz. Dê mais um passo!

Só então, de acordo com a sua observação, quando se sentir seguro em relação à criação desse novo registro energético; quando perceber que a sua mente já está reagindo positivamente, onde antes reagia negativamente, então, e só então, pode dar esse trabalho por encerrado. Mas fique sempre atento; já ouvi de alguém: "crescer é como viajar numa estrada que está sempre em obras". Qualquer percepção de contaminação do seu registro retome imediatamente o trabalho e fortaleça-o. Vitalize-o. A sua vida depende de você. Seja mais feliz!

Você pode realizar mais de um trabalho ao mesmo tempo. Nada impede que você se aplique a mais de um trabalho, desde que mantenha o bom senso, permitindo que a sua mente esteja sempre confortável com esses trabalhos. Se perceber qualquer cansaço, enfado, ou desconforto, ajuste imediatamente suas atividades. Diminua o ritmo; ao invés de realizá-los diariamente, pode alternar os dias; ou pode manter alguns e aguardar tempo oportuno para outros, etc. Procure também se exercitar fisicamente, pra que não fique focado só no trabalho mental. Procure dormir e acordar mais cedo, sentir a luz da manhã, andar um pouco descalço, respirar ar puro e olhar belas paisagens reais. E o mais importante, procure sentir o prazer que essas ações podem proporcionar. Desse modo estará ajudando a sua mente a receber energia e novos ingredientes para um pensamento sempre criativo! Persista! 

Evite comentários desnecessários sobre a sua terapia. Evite ouvir opiniões adversas, elas podem minar a sua força interior e atrasar bastante o seu próprio desempenho. Procure sentir intimamente quem está querendo realmente crescer, ao contrário da maioria que só quer o prazer fácil, o lucro fácil, a vida fácil, ou seja: usufruir sem nada investir. Aquilo que semear agora certamente o colherá no futuro! Seja você mesmo (a). Seja guerreiro (a)!


4º: Como acontece a evolução?

Você entenderá isso mais adiante.

Para entender isso, precisamos entender o funcionamento da nossa mente. Para isso vamos dividi-la em consciente e subconsciente.

I. Mente consciente

A mente consciente tem uma memória curta, imediata. Com a mente consciente colocamos em foco as realizações do nosso dia-a-dia. Com ela estudamos, pesquisamos, analisamos, escolhemos, definimos, trabalhamos, etc. É a nossa mente analítica, responsável pelo pensamento, a que planeja, que projeta, que decide. A mente consciente trabalha com a frequência Beta. Essa frequência está vibrando numa velocidade entre 15 e 65 ciclos por segundo. A sua contraparte física é o hemisfério esquerdo do cérebro. Trabalha com energia elétrica, não desenvolve magnetismo, qual seja: a força de atração e repulsão.

II. Mente subconsciente

Para isso, para liberar magnetismo, precisamos da mente subconsciente. Existe uma frequência intermediária, que é a frequência Alfa. Nessa frequência, Alfa, a mente está vibrando numa velocidade entre 9 a 14 ciclos por segundo, logo, mais lenta do que em Beta. Nessa frequência Alfa, consciente e subconsciente estão interagindo. Ou seja: o indivíduo ainda não perdeu a consciência (que é característica da mente consciente), mas já está liberando magnetismo (que é característica da mente subconsciente.)

*Logo quando acordamos e à noite antes de dormirmos entramos nesta frequência naturalmente, é quando estamos mais relachados e afastados dos nossos problemas. Por isso a nossa indicação para que a grafoterapia seja realizada nesses horários, para que os resultados sejam mais imediatos.

E na sequência temos a frequência Theta, que vibra numa velocidade entre 5 a 8 ciclos por segundo. Nessa frequência Theta, o consciente adormece e todo magnetismo subconsciente é liberado na sua plenitude. Podemos dizer que o indivíduo entra num sono leve, porém, sempre que é interpelado responde às indagações que lhe são dirigidas; neste caso, sem a consciência do que está dizendo, mas apenas obedecendo à sua memória emocional. A sua contraparte física é o hemisfério direito do cérebro.

O subconsciente tem a memória de tudo o que foi vivenciado durante toda a sua vida. É a nossa caixa preta contendo a memória de tudo o que vivenciamos, desde o útero de nossa mãe até os dias atuais. E muito mais; através do subconsciente podemos nos deslocar no tempo e no espaço muito além do que poderia supor a nossa vã filosofia!

*Nesta frequência não se pode realizar as grafoterapias, pois o indivíduo perde a sua direção consciente. Porém é uma das frequências utilizadas na terapia regressiva para se neutralizar traumas profundos, mágoas cristalizadas, transtorno do pânico, estigmas, etc. É quando o psicoterapeuta neutaliza os  registros dessas dores existenciais, que muitas vezes o indivíduo sente mas não sabe a origem, e imprime novos valores positivos, redirecionando o subconsciente desse indivíduo, de um estado de sofrimento e dor para um estado de autonomia emocional, bem estar, equilíbrio e força interior; devolvendo desse modo a sua capacidade de gerir a sua própria história.

Todas as vezes que pensamos (mente consciente) e desejamos alguma coisa (mente subconsciente), neste momento, estamos interagindo consciente e subconsciente, ou seja: criando a forma-pensamento com a mente consciente e ao mesmo tempo liberando magnetismo com a mente subconsciente. Somente desse modo o objeto do nosso desejo pode ser manifestado em nossa realidade palpável. Seja um evento, uma conquista, ou até mesmo a expansão da nossa consciência, significando aqui o alcance e a penetração do nosso espírito.

Só pra entender melhor: não basta só pensar, sentir também é necessário. Só o sentimento libera o magnetismo que é a atuação das forças centrípetas (atração) e centrífugas (repulsão).

E pra concluir, abaixo de cinco ciclos por segundo, frequência Delta, não pode ser realizada qualquer reprogramação, pois nesse caso, o indivíduo entra em sono profundo.

III. O que é reprogramação ou ressignificação?

Reprogramar, reorientar ou ressignificar o subconsciente é substituir os registros negativos que adquirimos inconscientemente, por registros positivos. Para atingir um bom resultado com a reprogramação precisamos tanto da mente consciente, quanto da mente subconsciente. Tudo que vivenciamos, desde a nossa concepção, passando pela infância, adolescência, juventude e vida adulta, até os dias atuais; cada momento emocional vivenciado com mais intensidade ficou gravado em nossa memória subconsciente. Se foram momentos felizes, que sorte a nossa! Dão-nos alentos, boas lembranças, estímulos para enfrentarmos uma má fase e continuarmos.

Se, porém vivenciamos muitos momentos ruins, esses registros foram negativos. Ficaram como referências negativas, e, às vezes impeditivas para que continuemos a crescer e evoluir. Eles podem nos "sugar" a força, o ânimo, e quando são muitos e/ou muito intensos, esses registros (traumas, mágoas, medos, culpas, etc.) podem mergulhar-nos numa imensa e profunda depressão, tal o acúmulo desses registros negativos no campo emocional. Esse indivíduo precisa de apoio e ajuda de um profissional. Precisa de um psicoterapeuta. Se você está vivendo momentos críticos, não espere até "transbordar da vasilha" e contaminar o seu meio. Use o bom senso, procure a ajuda de um profissional. Afinal, eles estão aí pra te cuidar e reorientar a sua energia; e farão isso com o maior amor, pode ter certeza!

lV. Paradigmas

Por que preciso ressignificar minha mente?

Paradigmas são conceitos e valores que desenvolvemos ao longo da vida. Dependem da cultura, da educação, da moral, das religiões, das crenças de cada um, enfim, são os nossos códigos e referências de vida.

Além das referências positivas que adquirimos, há também as referências negativas. Elas também fazem parte dos nossos paradigmas. Por isso que você já deve ter ouvido alguém falar sobre quebrar paradigmas. Pois para ressignificar a mente precisamos quebrar (invalidar, neutralizar) alguns paradigmas.

· Traumas

Traumas são momentos emocionais negativos que vivenciamos no passado com alguma intensidade emocional. Pode ter sido uma briga, acusações, discussões, pragas, maldições, desarmonias, acidentes, experiência de quase morte, ou morte de um ente querido, etc. Ao registro dessa memória emocional, damos o nome de trauma emocional. Existem desde pequenos traumas, médios e até traumas profundos que podem lançar o indivíduo em situações reincidentes, com outros personagens, porém com a mesma intensidade emocional, repercutindo em sua vida por longos anos. A maioria dos seres humanos ainda interagem com traumas adquiridos na infância.

· Mágoas

Quando nos decepcionamos por conta de um posicionamento equivocado; às vezes por criarmos expectativas em relação ao outro; ou mesmo porque o outro realmente tenha passado dos limites conosco.

Permanecer com a mágoa é reter a energia negativa atuando nos seus corpos físico, mental, emocional e espiritual. Ou seja, o maior prejudicado será você mesmo (a). Tenho visto pessoas magoadas ao longo de uma vida inteira. Por vinte, trinta, quarenta anos ou mais. Com o tempo a energia negativa da mágoa vai se densificando (tornando-se mais densa), e, então, começa a causar danos físicos; dores, inflamações e uma infinidade de outros problemas de saude, profissionais, de relacionamentos, etc.

· Vícios

Todo mundo sabe bem o que é um vício. Há desde os vícios que prejudicam a saúde física, comprometendo órgãos internos e com isso todo o funcionamento do organismo. Para esses a desculpa mais comum é que: "só faço mal a mim mesmo, portanto ninguém tem nada com isso!", o que não é verdade, pois o indivíduo compromete a sua egrégora familiar assim como a social; decepcionando, desestimulando, entristecendo e, às vezes, adoecendo aqueles que o amam.

Há também vícios comportamentais e até os condicionamentos mentais que, também, são outra forma de vício.

· Condicionamentos mentais

O condicionamento mental é uma resposta negativa da mente aos impulsos que lhe chegam. Muitos indivíduos, por se sentirem frágeis, magoados, sem ânimo, ou sem vontade de viver momentaneamente, desenvolvem verdadeiros equívocos mentais. Alguns de tal monta que o sujeito fica totalmente enredado por conceitos que não tem a menor sintonia com a lógica e o bom senso.

  • Tomam a parte pelo todo. Porque aconteceu com um, ou dois, o indivíduo decreta que vai acontecer com todos: "Os homens são todos iguais. Gostam de brincar com o sentimento dos outros".
  • Para justificar o seu desânimo, transformam o momentâneo em definitivo: "Já tentei, não consegui, então desisti".
  • Perdem a fé em si mesmos: "Não adianta!". "Não consigo!".
  • E projetam essa descrença para o outro: "Isso não vai dar em nada!". "Já vi esse filme...".
  • Etc., etc., etc..

· Culpa

Todos esses sentimentos apresentados são impeditivos para que o indivíduo se auto realize. Porém, a culpa atua diretamente como uma barreira, quase que intransponível, fazendo com que o indivíduo, às vezes, desenvolva um esforço descomunal para alcançar resultados irrisórios. Tudo isso por quê? Há, lá, nas profundezas de sua mente subconsciente, registros de culpa que estão vibrando e contaminando a mente consciente com a seguinte mensagem: "Eu não mereço!", "Eu não mereço!", "Eu não mereço!". Ou seja: Uma força contrária, de grande magnitude, que ficou como referência subconsciente, à qual o indivíduo não tem alcance com a sua memória consciente. Ou seja: ele sabe que tem algo errado com ele, mas nem sonha que tem essa culpa. Um passado retido, mas que tá ali, faz parte do seus paradigmas. É, também, uma das suas referências de valores. Mas está lhe atrapalhando!

5º: Postura Mental

Evite as expressões:

"To caído.", "To quebrado.", "To blefado.", "To fudido.", "To na lona.", "To no fundo do poço.", "To matando cachorro a grito.", "Sou um azarado.", "Sou pobre", "Não tenho um tostão furado.", "Não tenho dinheiro.", "Meu bolso tá furado.", "Quem me dera!", "Quem sou eu?!", "Eu tenho o dedo podre", "Sou um fracasso!", "Não consigo.", "Não adianta.", "Já tentei.", e tantas outras com as mesmas intenções...

A não ser quando precisa se comunicar com alguém para pedir uma ajuda, e mesmo assim, com a consciência de que é apenas por um momento, circunstancialmente. Essas expressões negam toda a verdade do Universo, que é sempre abundante, e está em expansão, até mesmo dentro de cada um de nós, se nós o permitimos!

Quando são ditas cotidianamente, repetidamente, reclamativamente, produzem um estigma no indivíduo. Um registro profundo que o coloca numa situação de penúria e sofrimento, pois todo o seu magnetismo está sendo conduzido para a atração de derrotas, insucessos, e pobreza extrema. O subconsciente só responde ao que é "plantado" nele, não interessa se você está consciente ou inconsciente disso. É uma obrigação do homem se auto conhecer. "Conheça-te a ti mesmo!" lembra? Sócrates nos deixou essa frase, há dois mil e quatrocentos anos atrás. Portanto, mesmo que seja um lamentável equívoco da criação inconsciente, mas ainda assim, da responsabilidade de quem o criou. Definitivamente, quem planta urtiga, não vai colher orquídeas!

O "céu" é dentro, é aqui, é agora! É um estado de alma!

Eu já sou o que eu sou. Tudo já está aqui e agora!

Sintonize a sua mente. Ao se conectar com expressões negativas, sua mente te leva imediatamente para um universo de lamentações e limitações, onde não há nada que preste, senão, somente os reflexos da sua auto punição.

Seja guerreiro (a). Permita-se. Usufrua o melhor que a vida tem pra te oferecer: amor próprio, abundância, harmonia, prosperidade, fraternidade, fartura e felicidade, são referências muito mais atraentes e interessantes para você se conectar. Trabalhe. Estude. Viaje. Divirta-se. Mas não perca o foco. Mesmo viajando você deve saber muito bem o que pretende, o que deseja, onde quer chegar.

Defenda-se das misérias do mundo, simplesmente sintonizando a sua mente com as alegrias e as benesses do Criador.

Seja invencível! Seja invulnerável!

Seja vigilante. Mesmo que caia, (e todos caem, faz parte do jogo) levante-se novamente! Não importa quantas vezes você caia, o importante é que você se levante, sempre, sempre, sempre! Esforce-se neste trabalho interior e seja o condutor do teu crescimento consciente. Saia do ostracismo e do torvelinho improdutivo que não te levam a lugar algum.

Projete-se. Construa você mesmo a sua felicidade!

O sol, pode ter certeza, é constante em seu trabalho, mesmo quando chove e as nuvens se fazem negras. Portanto, todas as condições externas que atingem a um, atingem a todos. O que diferencia é tão somente o direcionamento interno de cada um.

Qualquer que seja o seu caso, o quanto antes colocar as mãos na massa e lutar, aguerridamente, com constância, com certeza, em poucas semanas, ou meses, estará experimentando as alegrias de suas novas conquistas. Toda causa tem seu efeito. E não há ninguém que fique fora dessa lei.

Seja feliz!

Trabalhe pela sua emancipação.

Comece agora mesmo!

Não deixe pra depois o que pode fazer agora!


Mãos à obra

A opinião mais importante de todas sobre você, sobre suas realizações, sobre tudo que diz respeito à você, é a sua própria. É o que vem da sua consciência o que realmente importa, e não o que "todo mundo diz ou faz".

O que os outros dizem, e até mesmo o que os outros pensam de você são apenas reflexos do que você mesmo pensa ou sente, sobre você, na sua intimidade. E só existe uma maneira de você mudar o que não te agrada: magnetizando! Dirigindo conscientemente a energia a seu favor, ou seja, realizando autoafirmações.

Saindo do desvalor, da descrença em si mesmo e nos valores da vida, e revertendo tudo o que não te agrada. Criando uma certeza interior em relação aos valores que você deseja possuir. "Convidando" esses novos valores para dentro do seu mundo!

Dependendo da sua disponibilidade e disposição, comece com algo que você possa dar conta de realizar todos os dias. Comece com algo bem simples e, devagarinho, vai avançando, tomando gosto pelo trabalho, pelos novos sentimentos experimentados.

Com as autoafirmações você pode reorientar seus valores, crescer e se fortalecer moralmente, ou dar uma guinada em sua carreira profissional. Conheça. Experimente! Você não tem nada a perder, muito pelo contrário. Você nasceu para vencer! Mas, antes, é necessário que lance mãos à obra: Nossos serviços