Lâmina 19: Quitando

20/11/2017

Reorientando: Responsabilidade financeira. 

Ninguém quer viver sem o reconhecimento pela sua participação na construção da vida em comum. Não conheço ninguém que seja feliz dando pequenos golpes nos seus amigos, ou familiares, ou conterrâneos. Também não conheço grandes golpistas sustentarem por muito tempo a sua "relevância" social e financeira. Como dizem os antigos: "Uma hora a casa cai."

O que traz paz interior, equilíbrio e autorrealização é e sempre será a justa medida. Qualquer que seja o tamanho da criatura, não importa! Toda grandeza é relativa. A felicidade precisa ser conquistada no dia a dia, às vezes palmo a palmo. Por mais que o universo nos abençoe com as suas dádivas, pois "as melhores coisas da vida são gratuitas: sol, chuva, oxigênio, fogo, sexo, flores, luar, estrelas, etc". Nós temos que cumprir com o nosso dever. E a conciência do dever cumprido é que nos traz essa paz tão desejada.

Não adianta cumprir muito bem o seu papel social, quando um olhar mais apurado revelaria uma infinidade de pequenos furos na sua configuração doméstica e familiar.

Chega um tempo na vida de cada um de nós em que queremos colocar as coisas em ordem. Principalmente quando o que está fora de controle são as finanças. Essa fórmula "Quitando" surgiu por conta da necessidade de chamar a responsabilidade em si. De não deixar por conta do outro, mas assumir, tintim por tintim, todas as suas inconsequências financeiras. Ela propõe uma tomada de decisão, reorganizando, mudando o foco, pagando o preço da virada.

Às vezes são os pequenos detalhes que fazem a diferença. "Quitando" é assim: pequena, mas imprescindível!

* Valor mínimo das grafoterapias:  R$ 12,00